Cursos e Workshops

Se você já é aluno
 ou quer se cadastrar, entre com seu e-mail ao lado.
Estudantes de psicologia no último ano

Encontros e desencontros: Formação, desenvolvimento e rompimento de vínculos afetivos

Minicurso Online

Formato: Curso de férias

Encontros: 3 encontros, totalizando 12 horas

Metodologia: Exposição teórica, práticas vivenciais e estudo de caso.

O presente curso pretende explorar as bases para a constituição de um desenvolvimento saudável, a partir de aspectos relacionais. Com base nos pressupostos apresentados, teceremos um diálogo entre os conceitos, compreendendo como os fatores relacionais e o desenvolvimento estão ligados durante ciclo de vida.

A Gestalt-terapia compreende que somos ontologicamente seres de relação. A criança ao nascer e em seus primeiros meses de vida, vive uma experiência relacional constitutiva, em que não apenas busca satisfação de suas necessidades básicas, como também suas necessidades afetivas e de proteção. Crianças bem vinculadas com seus cuidadores, crescem com mais esperança no mundo, na disponibilidade do humano para se amparar em momentos de crise e angústia. Durante o percurso biográfico, existe uma tendência a manutenção do estilo de apego, pois crenças e aprendizados vividos tendem a se estender em vivências posteriores, porém sempre é possível ampliar nosso funcionamento para caminhar na direção de uma segurança maior. O ser humano tem então, ao longo da vida a tendência de manutenção e a possibilidade de mudança.

Referências bibliográficas

Ajzenberg, T.C.P.; Cardoso, S.R.; Fernandes M.B. ; Lazaros, E.A.; Nogueira, C.R. Reflexões sobre o desenvolvimento da criança segundo a perspectiva da Gestalt – terapia. Revista de Gestalt. São Paulo, n. 4, p. 87:92. 1995.

Ajzenberg, T.C.P.; Cardoso, S.R.; Fernandes M.B. ; Lazaros, E.A.; Nogueira, C.R. Figuras de apego: matriz dos vínculos afetivos. Revista de Gestalt n. 9. São Paulo, 2000.

Ajzenberg, T.C.P.; Cardoso, S.R.; Fernandes M.B.; Lazaros, E.A.; E.A.; Maffei, C.M Nogueira, C.R,. A gênese da construção da identidade e da expansão de fronteiras na criança. Revista da Gestalt n. 7. São Paulo, 1998.Bowlby, J. Apego – A natureza do vínculo. São Paulo: Martins Fontes, v. 1, 1990.

__________. (1979) Formação e rompimento dos laços afetivos. São Paulo. Martins Fontes, 2006.

Brazelton, T. Berry; Cramer, Bertrand G. As primeiras relações. Trad. Marcelo Brandão Cipolla. São Paulo. 2 ed. Martins Fontes, 2002.

Cardella, B.H.P. De volta para casa: Ética e poética na clínica gestáltica contemporânea. São Paulo: Gráfica Foca, 2017.

Hycner, R. De pessoa a pessoa – Psicoterapia Dialógica. São Paulo: Summus, 1995.

Hycner, R., Jacobs. Relação e cura em Gestalt-terapia. São Paulo: Summus, 1997.

Porges, S. The Polyvagal Theory: Neurophysiological Foundations of Emotions, Attachment, Communication, and Self-regulation. W. W. Norton & Company, 2011.

PHG. Gestalt-terapia. Introdução a edição do The Gestalt Journal, p. 15 e “A estrutura do crescimento”, 1997.

Pupo-Bianchi, D. B. O papel dos segredos n os jogos familiares: um olhar Transgeracional. Dissertação de Mestrado PUC-SP, 2018.

Safra, G. A face estética do self; teoria e clínica São Paulo: Unimarco Editora, 2005.

Safra, G. Desvelando a memória do humano: o brincar, o narrar, o corpo, o sagrado, o silêncio. São Paulo: Edições Sorbonost, 2006.

Poppa, C. C. O suporte para o contato: uma proposta de ampliação para a clínica gestaltica de crianças. Dissertação de doutorado. PUC-São Paulo, 2016.

Poppa, C. C. O Processo de crescimento em Gestalt-terapia: um diálogo com a teoria do amadurecimento de D. W. Winnicott, São Paulo, 2013. Dissertação de Mestrado, Pontificia Universidade Católica de São Paulo.

Quer fazer este curso?

05/07/21, 06/07/21, 07/07/21 das 16:00 às 20:00hs R$ 465,00 ou 3x R$ 155,00

Desde 2001 desenvolvendo o saber em Gestalt-Terapia